Vida nova — de novo

Eu sabia que ia levar tempo até postar de novo, mas não imaginava que seria tanto! Mais de um mês se passou desde o último post e nesse intervalo rolou uma nova mudança.

Tínhamos alugado um flat na Pipa por dois meses, de maio a julho. E quando esse período acabasse, iríamos para um cantinho definitivo. E assim foi. Só que esse nosso cantinho definitivo acabou sendo em João Pessoa.

Viemos para o Nordeste em busca de uma vida mais tranquila, e Pipa, nosso lugar favorito no mundo, era nossa primeira opção. Mas mesmo antes da viagem também tínhamos cogitado morar em João Pessoa, já que fica só a duas horas de Pipa e é um lugar famoso pela qualidade de vida.

Foi uma decisão racional. Ser turista na Pipa é a melhor coisa. Mas morar lá, trabalhar, ter uma rotina mesmo, não estava parecendo muito fácil. E depois de algumas vindas a JP, conhecendo os bairros e procurando imóvel, sentimos que seríamos mais felizes aqui.

Depois de uma cansativa busca, encontramos uma pequena joia. Pense num apartamento minimalista! Um espaço muito bem aproveitado de apenas 33 metros quadrados, todo mobiliado. Até hoje eu fico impressionada ao pensar em como esse tamanho nos atende perfeitamente. Cheio de armários planejados, nada fica fora do lugar. Limpamos tudo num instante e não nos sentimos nem um pouco numa caixinha de fósforo.

A ideia sempre foi encontrar um imóvel mobiliado, até porque vendemos todas as nossas coisas no Rio e não queríamos comprar tudo de novo, tanto pela questão da grana quanto para não ter que carregar uma porção de tralhas caso a gente se mude de novo. E ainda é uma opção bem mais sustentável, porque compartilhamos os bens que outra pessoa já tinha comprado, sem usar mais recursos do planeta. Nosso apê no Rio era quase três vezes maior, portanto nossos gastos com manutenção também eram maiores. Dois adultos ocupando um espaço enorme sem a menor necessidade…

Uma das coisas de que mais gosto aqui é do trânsito. Morro de rir quando reclamam da hora do rush. É quase inexistente em comparação com o que eu enfrentava diariamente no Rio e até mesmo em Petrópolis! A gente mora quase na esquina da principal rua do bairro e mal escuta barulho. Acho incrível pegar a rua paralela à principal e não ver carro nenhum na hora de atravessar. É uma coisa maravilhosa e espero que continue assim por muito tempo.

Com toda a correria de mudar, resolver pendências e burocracias, etc., mal consegui ir à praia por aqui, só mesmo para caminhar no calçadão. (Aliás, eu preciso dizer que adoro um calçadão! Nos meus sonhos de lugar perfeito para morar eu sempre visualizo um, tem que ter.) Mas agora as coisas estão mais tranquilas e em breve iremos conhecer melhor esse litoral lindo.

Nós nos despedimos da Pipa na semana passada com uma inevitável dorzinha no coração. Foi uma experiência maravilhosa, um privilégio ficar tanto tempo naquele paraíso, curtindo as praias, a noite, os novos amigos. Mas não foi um adeus, e sim um até breve, porque em duas horinhas chegamos lá e mês que vem tem o Festival de Jazz!

Foi um mês bem doido, mas aos poucos tudo está se encaixando. Eu reclamo da loucura da vida no Rio, mas estava acostumada a resolver tudo rapidamente, e aqui não é assim. Por exemplo, depois de desistir de encontrar nas lojas o varal que eu queria, pedi pela internet, e o prazo era de 15 dias úteis… zzzz… Pois é. Temos que tirar o pé do acelerador e apreciar a vista.

E não foi exatamente para isso que viemos?

Riqueza é não faltar o que é importante para nós. Minimalismo é ter abundância do que mais precisamos.

Gustavo Cerbasi, do livro A riqueza da vida simples

4 comentários sobre “Vida nova — de novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *