4 malas e uma saudade que não caberia em lugar algum

E então chegou o tão esperado dia 17 de maio, o dia da mudança, da viagem…

E das últimas despedidas.

Se eu só pensasse no que estou deixando, jamais conseguiria fazer isso. Como achar que qualquer coisa é melhor do que ter sua família e seus amigos por perto, ao alcance de um Uber?

Não, não dá para fazer esse balanço. É uma conta que simplesmente não fecha.

E por isso eu não consegui viver a euforia da mudança para o projeto de vida minimalista. Eu só consegui viver a correria das últimas pendências (eu vou ter que pagar excesso de bagagem?) e a saudade, doída e chorosa.

Passei pela área de embarque achando que estava segurando muito bem, mas foi eu ver o tchauzinho meio aéreo do meu sobrinho de 3 anos pra eu virar o corredor e o choro desabar com toda a força.

Fui encarar o raio X enxugando as lágrimas, pensando se estava dando algum motivo para os agentes desconfiarem de mim… rs… (Quem assiste às séries Aeroporto, do National Geographic, sabe do que estou falando.) Mas deu tudo certo, eles não me pararam.

Só minhas, foram 2 malas grandes despachadas, com roupas e calçados. Isso porque não levei as roupas de frio.

Ainda muito distante de uma minimalista exemplar, não é mesmo?

Confesso que foi duro reconhecer esse fato. Seria muito mais fácil já estar mais leve (as coisas do meu marido couberam todas em 1 mala; a quarta mala foi só de roupas de cama e banho), mas foi o que deu pra fazer. Como autoconcessão, sei que há alguns anos o peso teria sido bem maior…

Quando cheguei ao aeroporto de Natal, as mensagens começaram a pipocar. E foi nessa hora que eu vi como é enorme o apoio que estamos recebendo. São parentes, amigos, ex-colegas do trabalho, amigos dos amigos e até mesmo os primeiros leitores do blog. Então aproveito a deixa para agradecer a todos vocês pela energia positiva que mandaram pra gente, pela força e pelos desejos felizes.

E pela parceria. Sim, porque a ideia do blog é esta, irmos fazendo essa mudança juntos, aprendendo e compartilhando.

Partiu Pipa!

16 comentários sobre “4 malas e uma saudade que não caberia em lugar algum

  1. Eu estou amando poder embarcar nessa nova vida junto com vocês! A torcida aqui é grande, vai dar tudo certo! Boa sorte e felicidades! 😘

  2. Amei a ideia! Já li tudo e quero ler mais 🤩. Além de nos inspirar, vamos viver um cadinho da vida de vocês e toda descoberta…quero muito! Beijo 😘

  3. Amei o seu relato Melissa com simplicidade e sinceridade, atitude que condiz com a pessoa que vc é de verdade.
    Desejo que vcs vivam essa nova fase com felicidade plena no estilo de vida que adotaram e nesse paraiso que por si só já traz paz e alegria.
    Ficaremos com saudades mas na torcida por vcs.
    Beijo carinhoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *